Empreendedorismo, Negócios

Veja como Carlos Alberto de Oliveira Andrade se tornou o principal nome do mercado automotivo brasileiro

Carlos Alberto de Oliveira Andrade recebeu o prêmio de Executivo do Ano pela revista Auto Esporte de 2019. Essa não é a primeira premiação do fundador da CAOA, empresa que leva as iniciais do seu nome. Acompanhe um pouco da trajetória do médico que se tornou o “homem forte” do mercado automotivo brasileiro.

Como um capricho do destino, Carlos Alberto de Oliveira Andrade tornou-se empreendedor do ramo automotivo. O ano era 1979 quando o então médico cirurgião comprou um Ford Landau que nunca foi entregue por conta da falência da concessionária, na Paraíba. Andrade viu com bons olhos a oportunidade e adquiriu a empresa.

Menos de seis anos depois, o doutor CAOA já era o maior revendedor de veículos Ford do país. Com mais experiência, o empreendedor fechou parcerias com a Renault, Hyundai e outras tantas marcas para a representação no país. A ideia era importar diferentes modelos e aumentar o portfólio da empresa.

Mas ainda não era o suficiente. Foi então quando Carlos Alberto de Oliveira Andrade bancou com recursos próprios a fábrica de Anápolis (GO) em 2007. Na unidade industrial são produzidos os veículos da Hyundai, o que rendeu ao empresário outro prêmio, o de “Distribuidor do Ano”em 2012. A premiação é concedida ao principal revendedor entre os 179 distribuidores da marca em todo o mundo.

Como importadora, o principal ano da CAOA foi em 2011, quando foram vendidas 89.053 unidades. No mesmo ano, a fabricação de carros e caminhões chegou ao seu topo, com 38.635 unidades. Em números totais da produção foi em 2013, com 3.738.448 unidades.

Mesmo afastado da direção da CAOA, Carlos Alberto de Oliveira Andrade ainda ocupa o comando do Conselho de Administração do grupo. Assim continua a par das principais decisões do grupo.

CAOA Chery

A empresa chinesa chegou ao país em 2009 como parte de um projeto que visa a internacionalização da marca. Cinco anos depois da chegada, foi inaugurada a fábrica de Jacareí, a primeira unidade industrial completa da companhia fora do seu país de origem. O que rendeu um investimento inicial de US$ 400 milhões.

Há pouco mais de um ano a CAOA firmou parceria com a Chery, que assumiu a operação da montadora chinesa na fábrica de Jacareí, no Vale do Paraíba (SP). A partir daí as duas deram início a ações mercadológicas agressivas, as quais incluem a expansão da rede de concessionárias e o lançamento de modelos inéditos no país.

Antes da parceria com a empresa de Carlos Alberto Oliveira Andrade, a Cherry respondia por um pequeno percentual das vendas de veículos no país. Os principais carros vendidos no país eram o Celer e o QQ, contudo o crossover Tiggo 2x já melhora as perspectivas de venda para o mercado nacional.

O primeiro passo da parceria foi o anúncio de modelos produzidos no país. A linha Tiggo, já presente no mercado nacional com Tiggo 2x será ampliada com os modelos Tiggo 5X e o Tiggo 7. Além dele, também será apresentado o Arrizo 5, sedã médio da montadora. Ambos equipados com o novo motor 1.5 turbo e marcam um avanço em design, equipamentos e mecânica.

Tudo faz parte de um planejamento ousado, principalmente pelo lançamento dos SUVs e sedãs, dois dos segmentos mais competitivos no Brasil.