Parceria entre MCTIC e BNDES poderá expandir internet de banda larga no Brasil

Um projeto do MCTIC – Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, e do BNDES – Banco de Desenvolvimento Econômico e Social, pretende consolidar um programa de fundo garantidor que possibilitará investimentos em pequenos provedores de internet em todo o país. O objetivo deste projeto é facilitar a demanda de crédito para os empresários deste setor, possibilitando mais infraestrutura para a expansão dessas empresas, e ampliar o acesso à internet no Brasil.

A divulgação deste projeto foi realizada no dia 26 de outubro pelo ministro Gilberto Kassab, pelo presidente da Telebras, Maximiliano Martinhão e pelo presidente do BNDES, Paulo Rabello de Castro. De acordo com Martinhão, o país deveria ter uma política voltada para melhores condições dos pequenos provedores de internet no Brasil, pois eles exercem um papel fundamental ao levar internet para regiões onde grandes operadoras não chegam.

“O que estamos desenhando é exatamente isso: utilizar as agências do governo federal, como Finep e BNDES, para criar um programa que permita a esses empreendedores ter acesso ao crédito, para que possam crescer e melhorar os serviços nas pequenas cidades. É uma política alinhada com uma estratégia do ministério e do BNDES, que envolve inovação, empreendedorismo e inclusão”, afirmou Martinhão.

Segundo Ricardo Riviera, chefe do Departamento das Indústrias de Tecnologia da Informação e Comunicação do BNDES, existem 5 mil pequenos provedores em operação no interior do país, onde eles respondem pela garantia de sinal de internet para grande parte da população residente nesta região. “Queremos ajudar a estruturar um fundo garantidor e fundos de investimento direto. A grande barreira que temos que ultrapassar é a oferta de garantias aos financiadores”, afirmou Riviera.

A construção de um fundo garantidor voltado diretamente para pequenos provedores é extremamente fundamental para que as metas de expansão da internet de banda larga no Brasil possam ser cumpridas, acredita Basílio Perez, presidente da Abrint – Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações. “Se tudo der certo, os provedores vão começar a ter disponibilidade desse fundo para garantir os financiamentos. Isso vai ampliar a banda larga pelo país e melhorar o acesso para todos.”