Posts

Medida simples leva Austrália a reduzir em 80% o uso de sacolas plásticas

A Austrália, considerada como um dos países mais ricos em biodiversidade, tem investido constantemente em novas maneiras de preservar o meio ambiente. Segundo notícias da imprensa australiana, a Associação Nacional de Varejo do país, a população local reduziu em cerca de 80% o uso de sacolas de plástico, as quais são extremamente prejudiciais ao meio ambiente.

Essa redução, que ocorreu em um intervalo de poucos meses, foi possível graças a uma ação adotada pelo setor privado, e não pelo governo do país. Na ocasião, as duas grandes redes de supermercado da Austrália, o “Woolworths” e o “Coles” tomaram a decisão de não utilizar mais as sacolas de plástico em suas unidades por todo o país.

Em junho de 2018, ambos os supermercados estabeleceram que o plástico seria substituído por alternativas que possam ser reutilizadas. Agora, são vendidas sacolas de materiais reutilizáveis por cerca de 15 centavos de dólar, cada. Com isso, estima-se que mais de 1 bilhão de sacolas deixaram de ser oferecidas nos mercados em apenas três meses.

De acordo com o gerente de Política Industrial da Associação Nacional de Varejo, David Stout, os varejistas australianos merecem ser elogiados por exercerem uma posição de liderança no objetivo de tornar a Austrália mais sustentável. Além disso, ele destacou que os consumidores também devem ser parabenizados por terem apoiado a iniciativa em prol do ambiente.

David Stout também ressaltou que essa atitude incentivou lojas menores por todo o país a adotarem medidas similares, o que em pouco tempo foi alterando o padrão de comportamento dos australianos. Esse efeito cascata ainda motivou os governos municipais a estabelecerem iniciativas integradas a favor da causa ambiental, o que representou uma grande vitória para os grupos que defendem essa questão no país

Mesmo com um resultado tão positivo em um intervalo curto de tempo, essa iniciativa não foi tão bem aceita no início, e encontrou certa resistência de um parcela dos consumidores, que não estavam preparados para mudar um hábito tão enraizado como esse, segundo informações do site IFLSciense. Contudo, a insistência dos varejistas australianos, o subsequente apoio dos governos locais e a aplicação de uma estratégia inteligência foram o segredo dessa medida que acabou se tornando referência para os outros países.